quarta-feira, março 22, 2017

Grupo JLR estaria de olho para comprar a Vauxhall do grupo PSA para fazer como marca mais simples


Parece que a história da PSA com a Opel e a Vauxhall ainda não terminou. Depois do grupo francês confirmar a compra das duas marcas, a JLR (Jaguar-Land Rover) confirmou que tem interesse na marca Vauxhall. A marca do Reino Unido, adquirida pela GM há um bom tempo e depois "fundida" com a Opel, vende por ano cerca de 250.000 unidades no Reino Unido. Isso atraiu a atenção da JLR. Atualmente da Tata, o grupo sonha em adquirir a marca para fazê-la de marca de acesso. Segundo o site Automotive News, o interesse da JLR na Vauxhall é explicado pelo desejo de atuação em novos segmentos, menos luxuosos, aproveitando o conhecimento que os engenheiros estão adquirindo com a Tata Motors. Com isso, evitam "queimar" o nome Jaguar e Land Rover com veículos mais baratos e que atendem um novo segmento de público. Para a PSA, a Vauxhall só seria uma "fonte de gastos", já que o maior interesse estava na Opel e seus 1 milhão de carros vendidos mundo afora. A PSA terá um ganho com a Opel em plataformas, motores e componentes, além de um importante reforço nas vendas. Segundo a publicação do site, a Vauxhall apenas daria custos para a produção e desenvolvimento de modelos específicos para o mercado britânico. E é neste ponto que a negociação com a JLR poderá interessar ao grupo francês, que ainda poderá vender Opel no Reino Unido. Imagine Opel, Chevrolet e Vauxhall competindo entre si dentro de alguns anos em diferentes mercados? É, não seria impossível. Brasil? Não é de se duvidar que a JLR aposta na marca por aqui.


Fonte: Automotive News

Novo Volkswagen Polo ganha projeção de site indiano e deve ser revelado nos próximos meses


O site indiano Indian Auto Blog fez uma projeção deve como pode ficar a nova geração do Polo. O hatch, vazado nos últimos dias, deve ganhar traços mais parecidos com os do Golf. O design não deve mudar muito. A dianteira será marcada pelos faróis mais espichados e com máscara negra, formando conjunto com a nova grade com dois filetes em alumínio, além de para-choque com tomadas de ar horizontais e luzes de neblina retangulares. O conjunto lembra levemente o topo de linha Passat. As nas laterais, o desenho das janelas é praticamente o mesmo, enquanto as portas têm formas mais limpas, com um vinco cortando as maçanetas. Já na traseira, a VW aposta em um formato mais limpo, com destaque para as lanternas que invadem parte da tampa do porta-malas. Imagens do interior não foram divulgados, mas o carro deverá trazer elementos inspirados no Golf. E o segredo acabou graças à rapidez de Kaveshan Palavar, um leitor do site Cars.co.za, da África do Sul, onde o carro também será fabricado. No exterior ele deve ser oferecido com motores 1.0 12v que desenvolve 65cv ou 75cv e o TSI que desenvolve 95cv ou 115cv, o 1.5 TSI de 130cv ou 150cv, o 1.6 TDI de 80cv, 95cv ou 110cv de potência, com câmbio manual de 5 marchas ou automático DSG de 7 velocidades de dupla embreagem. Uma versão GTI é cotada, com motor 2.0 TSI com mais de 200cv


Honda do Brasil deve desenvolver uma plataforma de automóveis compactos para países emergentes


Parece que depois do WR-V, a Honda do Brasil deve ganhar mais destaque no exterior. Segundo o jornal indiano The Economic Times, os engenheiros do Brasil em conjunto com as filiais da Índia, Tailândia e Japão devem desenvolver uma nova plataforma voltada para mercados emergentes. Detalhes sobre a base ainda são limitados, mas já é praticamente certo que servirá a pelo menos três modelos diferentes: um hatchback, um sedã e um SUV. Tudo indica que serão carros de porte compacto, dada a deficiência da Honda neste segmento na Índia. Diretor de operações da marca, Noriake Abe disse que a plataforma ficará pronta dentro de 3 ou 4 anos e que chegará a países da região Ásia-Pacífico e América do Sul (incluindo o Brasil, principalmente). Isso pode indicar o enfim compacto da Honda, que deve concorrer com demais modelos de marcas já conhecidas e terá a chance de inaugurar a fábrica de Itirapina (SP). Os compactos porém devem demorar para chegar ao nosso mercado. Estima-se que eles estejam prontos apenas em meados de 2022 ou 2023, chegando ao Brasil um ano depois.


Opel Insignia Grand Sport e Sports Tourer começam a ser produzidos na fábrica da Alemanha


A Opel já produz a nova geração do Insignia na Europa. Produzido na fábrica de Rüsselsheim, na Alemanha, a nova geração do sedã e da station (Grand Sport e Sports Tourer respectivamente), considerados os novos carros chefes da Opel, foram fruto de um investimento de 500 milhões de euros na fábrica para sua produção. O primeiro exemplar a sair da linha de produção recebeu pintura na cor branca e um motor 2.0 turbodiesel de 170cv de potência. “Estávamos ansiosos para hoje há temois. Nosso novo carro-chefe finalmente chegou. Este é um dia importante para a Opel e a fábrica de “Rüsselsheim”, disse o CEO da Opel, Dr. Karl-Thomas Neumann, durante a cerimônia do início de produção da segunda geração do sedã. Para o executivo, o novo modelo vai repetir o sucesso de seu antecessor, que conseguiu vender 940 mil unidades desde 2009 na Europa, tornando-se o quarto Opel mais vendido da história. Antecipado pelo Monza Concept, ele está maior e mais leve que a antiga geração. Por exemplo da relação de entre-eixos, que cresceu 92mm, ampliando o espaço para as pernas dos passageiros nos bancos traseiros, além de ficar 11mm mais longo e 29mm mais baixo. O peso caiu 175kg, sendo que só a carroceria está 60kg mais leve. O destaque dessa nova geração também é o coeficiente aerodinâmico de 0,26Cx. No design, destaque para a grade hexagonal com filetes cromados, faróis afilados com tecnologia IntelliLux LED, para-choque com formato mais agressivo, vincos marcantes nas laterais, linha de cintura elevada, traseira com formato mais curto e lanternas espichadas em LED que invadem a tampa do porta-malas. Já o interior lembra bastante a nova geração do Astra, mas com materiais de melhor qualidade, como couro e detalhes em alumínio e preto piano por todos os lados.



Reestilizado Mercedes-Benz Classe S deve trazer de volta o motor V6, inexistente na atual geração


Com lançamento marcado para os próximos meses, o face-lift do Mercedes-Benz Classe S deve trazer mudanças sutis no design externo e interno do sedã mais luxuoso da marca. Esperado para ser apresentado no Salão de Nova York, a reestilizado do Classe S ainda deve trazer de volta uma nova opção de motor que ficou ausente na apresentação da atual geração. O motor V6, que foi oferecido na geração W140 de 1991 a 1998, a geração de 1998 a 2005 mas o motor deixou de ser oferecido nos últimos anos. Até a geração anterior, a Mercedes oferecia na versão AMG e no face-lift programado para os próximos anos deve estar disponível com motor turbo diesel. Durante o Salão de Detroit, nos Estados Unidos, o chefe de desenvolvimento da Mercedes, Ola Kallenius, disse que a projeto a ser aplicado ao Classe S será o primeiro com integração entre dados dos sensores e de mapas em um carro de produção. O sistema deve permitir que o sedã de luxo da Mercedes detecte uma curva e julgar se a velocidade do automóvel está muito alta para contornar o trecho. Se ele perceber que sim, deve reduzir a velocidade e tangenciar a curva com mais segurança. Além disso, o sistema de Classe S mapeia todo o território alemão e não apenas 80% como os concorrentes. Porém Kallenius confirmou que o sistema pode prever falhas. Se porventura na saída da curva não houver linhas pintadas na estrada para o carro se guiar, e ele perder a referência, terá a capacidade de tomar uma decisão.


Novo Audi A8 será revelado em Julho e logo em seguida será apresentado no Salão de Frankfurt


A nova geração do Audi A8 está quase pronta para ser revelada. O sedã topo de linha da marca das quatro argolas será lançado em Julho. A quinta geração do A8 será revelado no âmbito do Audi Summit, em Barcelona (Espanha), e logo em seguida ele deve ser revelado ao público no Salão de Frankfurt. Às concessionárias da Audi na Europa ele será lançado até o final do ano. Durante uma reunião anual de acionistas realizada em Junho de 2016, em Ingolstadt, na Alemanha, o CEO da fabricante, Rupert Stadler, confirmou que a quarta geração do sedã de luxo será lançada no mercado em meados do ano que vem. Segundo o executivo, o novo A8 será o primeiro automóvel da Audi a ser produzido com condução autônoma graças ao recurso Traffic Jam Pilot, o novo modelo poderá ser conduzido com o modo autônomo em estradas a velocidades de até 60km/h. A tecnologia deverá evoluir nos próximos anos e a marca estima que um carro totalmente autônomo chegará às ruas até 2025. O novo A8 deve seguir o design antecipado pelo Prolongue Concept, apresentado há dois anos. A plataforma da nova geração será a MLB EVO, que com o uso de materiais leves, perderá 200kg em relação ao modelo atual. Entre os equipamentos, o modelo terá faróis a laser, lanternas traseiras em OLED, novos sistemas de entretenimento com telas OLED e suporte de controles por gestos, entre outros. Na mecânica, o novo A8 deve usar o mesmo motor do Bentley Bentayga, um 6.0 W12 biturbo que desenvolve 608cv de potência e 91,8kgfm de torque.


Site faz projeção de como ficará o Rolls-Royce Cullinan, que estreia em 2018 como primeiro SUV da RR


A Rolls-Rouyce deve apresentar seu primeiro SUV ao mundo em 2018. O utilitário esportivo, que responde pelo nome de Cullinan, deve ser lançado para concorrente do Bentley Bentayga. O novo Rolls foi antecipado por uma projeção do site Motor1, que deve trazer uma certa inspiração nos últimos lançamentos da Rolls-Royce. A Rolls-Royce tradicionalmente produz modelos com três volumes, por isso fica um tanto quanto difícil imaginar como será aplicada a identidade visual da marca em uma traseira com queda acentuada, como um SUV. Como é possível ver nas imagens, parece que o Cullinan deve quebrar esse paradigma estético. Mesmo flagrado, ele faz lembrar o Land Rover Range Rover Vogue, com linha retas e estilo parrudo. A lanterna traseira poderá invadir a tampa do porta-malas, como há anos os carros da Rolls-Royce não fazem. A única dúvida que ainda paira é sobre a presença, ou não, de portas traseiras suicidas. Apesar do flagra indicar que elas estão ali, há uma protuberância na parte traseira da porta, indicando também uma possível maçaneta de abertura tradicional. Sobre a motorização, fala-se que o Cullinan possa usar o motor 6.6 V12 que desenvolve 563cv de potência e torque de 79,2kgfm, o mesmo usado no Wraith e Dawn.


Flagra e Projeção: Motor1

Nova geração do Peugeot 508 deve se basear no Instinct Concept e será lançado em 2018 na Europa


Lançado em 2010, a atual geração do Peugeot 508 já aguarda um substituto. A nova geração deve ser lançada em meados de 2018, com base no Instinct Concept, apresentado no Salão do Automóvel de Genebra. Com desenvolvimento em andamento, a Peugeot quer que a nova geração faça frente a Opel Insignia e Ford Mondeo na Europa. Durante entrevista no Salão de Genebra, o diretor de produtos da Peugeot, Laurent Blanchet, revelou que a nova geração da linha 508 será posicionada entre o segmento de carros convencionais e o de modelos premium. “O posicionamento da nossa marca é ser o melhor entre os topos de linha. Isso não significa que queremos ser premium, pois há outra marca para isso, a DS. O que queremos é ser uma marca muito boa no geral, e para isso você tem que estar realmente presente no segmento D”, disse o executivo. O novo 508 deve ser feito sobre a plataforma EMP2, o que significa que a nova geração do sedã e da station devem contar com opções de motores a gasolina e hybrid plug-in e/ou elétrico. O conceito se destaca por seu design, com portras traseiras suicidas e o conceito foi desenvolvido em parceria com a Samsung. O conceito da station não conta com volante, aparentemente, mas isso se deve ao modo autônomo de condução, que o recolhe para baixo do painel de instrumentos. E deve recolher também os pedais, já que só vemos um deles na imagem. Esse, segundo a Peugeot, seria a nova geração do i-Cockpit.


Fonte: AutoExpress

Chery confirma novos motores, a gasolina e híbridos, e câmbios para o mercado global até 2024


A Chery confirmou que deve apresentar uma nova gama de motores nos próximos anos. Os novos motores serão movido a gasolina e híbridos para os próximos anos na China e espera-se que outros mercados também recebam os novos motores, entre eles, o Brasil. A partir de 2019 uma nova gama de motores será lançada e serão chamados de Chery 3.0. O atual lineup de motores ecológicos deve surgir até meados de 2024. Entre as novidades previstas estão o 1.0 TCI (sem injeção direta de combustível), 1.0 TGDI (com injeção direta), 1.2 TGDI e 1.6 TGDI, que devem substituir os atuais 1.5 DVVT, 1.5 TCI, 1.6 TCI e 1.6 DVVT. Além disso a Chery deve lançar um câmbio automático de dupla embreagem de 7 velocidades para os automóveis de tração dianteira oi integral. Além disso, uma segunda geração do câmbio automático CVT também é cogitada. Um câmbio manual de 6 marchas deve seguir em linha, enquanto as demais opções de câmbio deixam de ser oferecidas até 2024. Outra mudança é em relação aos híbridos. Atualmente a Chery tem modelos com tecnologia que usa sistema elétrico de 12V, motor 1.6 DVVT, câmbio CVT e um motor elétrico. A partir de 2019, a empresa utilizará um sistema de 48V com motor 1.5 TCI, transmissão de dupla embreagem com sete marchas e motor elétrico. Os modelos a usarem esse motor ainda não foram definidos.


terça-feira, março 21, 2017

PSA confirma produção dos Citroën Jumpy e Peugeot Expert no Uruguai, com capacidade de 6.000 unidades



A PSA parece que já decidiu de onde será produzido os furgões Citroën Jumpy e Peugeot Expert. Confirmado para serem lançados no segundo semestre de 2017 no Brasil, ele serão produzidos no Uruguai, com capacidade de produzir 6.000 unidades por ano da dupla. A fábrica localizada em Nordex, em Montividéu, no Uruguai, deve produzir os furgões para abastecer principalmente Argentina e Brasil. Este anúncio faz parte da ofensiva de veículos comerciais para a América Latina, que detalhamos nesta terça-feira (14)  e terá 16 novos modelos na região até 2021, incluindo diversos utilitários. Carlos Tavares, Presidente Mundial do Grupo PSA, declarou: “O Grupo PSA obteve uma recuperação formidável na região nos últimos anos, e esta parceria se inscreve na Core Model Strategy do plano “Push to Pass”. Ela ilustra o modelo de negócios pertinente que o Grupo está desenvolvendo na América Latina a fim de obter um crescimento rentável”. A meta é passar de 30.000 unidades para 60.000 unidades por ano no Brasil em vendas e os quatro novos comerciais leves são um pilar fundamental para isto. Os furgões virão nas versões furgão ou combi, com capacidade para até 9 passageiros, ocupando o segmento intermediário. A marca garantiu que ambos os modelos serão apresentados pela primeira vez durante a Fenatran, em Outubro. De acordo com Frédéric Chapuis, vice-presidente de veículos utilitários e responsável pela recém-criada área de veículos comerciais da PSA na América Latina, o grupo vai aproveitar toda a expertise da operação na Europa, onde as marcas são líderes do setor. Segundo a PSA, será realizada uma ação junto aos concessionários com adaptação nas lojas atuais para atender os clientes de comerciais leves. Também serão criados pontos de venda exclusivos em locais considerados estratégicos, assim como a Mercedes faz hoje. A motorização ainda é uma incógnita para Jumpy e Expert. Na Europa, a PSA oferece motor sempre a diesel, seja ele 1.6 BlueHDi que desenvolve 95cv, 115cv, ou 120cv ou o 2.0 BlueHDi que entrega 150cv ou 180cv, sempre com câmbio manual de 5 marchas e com opção de 4,60 metros de comprimento, 4,95 metros e 5,30 metros de comprimento.