segunda-feira, setembro 25, 2017

Volkswagen triplica produção do T-Roc para a Europa e deve produzir 200 mil unidades por ano


Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, a Volkswagen confirmou que deve trazer mudanças na estratégia de produção para o T-Roc na Europa. Segundo Jürgen Stackmann, executivo da marca, disse que a produção do modelo será triplicada em relação às previsões iniciais. De acordo com o executivo, a fábrica de Palmela, em Portugal, passará a produzir anualmente algo em torno de 200 mil unidades do crossover, e não mais 70 mil como se previa anteriormente. Apesar de nem ter chegado ainda aos concessionários, ele deve atuar apenas na Europa e em alguns mercados da Ásia. Maior novidade da Volkswagen para o Salão do Automóvel de Frankfurt, o T-Roc mede 4,23 metros de comprimento, 2,60 metros de entre-eixos, 1,82 metro de largura e 1,81 metro de altura. O T-Roc conta com porta-malas de 445 litros (e pode chegar a 1.290 litros) e o utilitário é 4 centímetros menos que o Golf no entre-eixos. Versão Volkswagen do Audi Q2, o T-Roc quebra um pouco do design padrão da Volkswagen e até tem sua personalidade. Entre os destaques do design estão o conjunto óptico dianteiro formado por uma união da grade dianteira com uma moldura de alumínio. As luzes LEDs são destaque também e estão em torno de uma entrada de ar no para-choque. Nas laterais, o destaque fica pelas linhas musculosas do SUV que o deixam parecer maior do que realmente é. A traseira conta com lanternas horizonatais que invadem a tampa do porta-malas e é o ponto do design mais simples de todo o conjunto, com o nome "T-ROC" estampado no centro da tampa do porta-malas.


Nova Chevrolet Blazer já roda com carroceria definitiva nos Estados Unidos e deve estrear em 2019


O site Truck Trend flagrou a nova geração da Chevrolet Blazer já com carroceria definitiva rodando em testes nos Estados Unidos. A nova geração deve marcar o retorno da marca ao segmento, brigando diretamente com o Ford Edge. Prevista para ser lançada em 2019 nos EUA, o SUV deve ficar entre o Equinox e o Traverse. Não usado nos EUA desde 2005, o nome deve trazer um SUV moderno e a fim de aumentar o número de SUVs no mundo como um todo, a Chevrolet precisa expandir seu portfólio e trazer de volta o forte nome Blazer é uma resposta para a Ford, que deve ressucitar o Bronco. É pouco provável que a nova Blazer tenha as mesmas capacidades offroad do modelo que ficou conhecido, mas deve usar bastante da imagem para conquistar seu espaço no mercado. O SUV deve ter um diferencial em relação ao Edge, que será a terceira fileira de bancos. Além do Edge, a Chevrolet mira no Nissan Murano e ambos oferecem espaço para apenas cinco ocupantes. O SUV deve nascer como o modelo Chevrolet do GMC Acadia, onde deve usar a mesma mecânica, inclusive. Com isso, os motores 2.5 16v e 3.6 V6 são cogitados e ele deve ser produzido sobre a plataforma C1XX, a mesma usada por Traverse, Buick Enclave e Cadillac XT5.



Fotos: TruckTrend

Honda apresenta face-lift da Fit Shuttle no Japão, que traz mudanças similares as adotadas pelo Fit


A Honda está apresentando no Japão a reestilizada Fit Shuttle. A station do Fit chega com quase as mesmas mudanças do hatch ao introduzir mudanças parecidas. Além disso, o modelo passa a contar com novos recursos de segurança, novos equipamentos e aprimoramentos no conjunto mecânico. Entre as novidades estão novo layout dos faróis e com LEDs, grade frontal com formato mais robusto e um filete grosso cromado de alumínio, para-choque dianteiro e traseiro redesenhado, novas rodas de linha leve, lanternas horizontais que invadem a tampa do porta-malas, entre outros. No interior, destaque para a nova central multimídia e o câmbio automático ao melhor estilo "Joystick". Entre os itens de série, as novidades ficam por conta do sistema Honda Sensing com oito funções, o que inclui aviso de saída de faixa, sistema de frenagem automática para evitar colisões, controle de cruzeiro adaptativo com função de seguir o carro no trânsito, alerta de colisão frontal, entre outros. Complementam a lista itens como faróis de neblina em LED e uma nova variante do sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay. Na mecânica, a novidade fica por conta da adoção do motor 1.5 Hybrid, acoplado ao câmbio automático de dupla embreagem e 7 velocidades. No Japão a Honda também oferece versões a combustão com câmbio automático CVT e tração dianteira ou integral.




Em sua oitava geração, Toyota Hilux volta a ser vendida no Japão depois de 13 anos de ausência


A Toyota voltou a vender a picape Hilux no Japão depois de treze anos ausente do mercado natal da marca. Segundo a Toyota, o relançamento da picape no país põe fim a ausência do mercado desde 2004, quando a última unidade foi localmente emplacada. Na época, ainda era o modelo de sexta geração, com linhas quadradas e perfil que lembrava bastante as picapes dos anos 90. Em sua oitava geração, a Hilux pretende atrair os consumidores do FJ Cruiser, que deve deixar de ser produzido no Japão, sem deixar um substituto. A expectativa da Toyota é vender cerca de 2 mil unidades por mês da picape e de acordo com levamento da marca, ainda existem 9 mil unidades que circulam no país em perfeito estado.



McLaren 570S ganha série especial XP Green que faz homenagem ao F1 XP GT Longtail de 1997


A divisão MSO da McLaren apresentou uma série especial do 570GT que faz homenagem para o histórico F1 XP GT Longtail de 1997. A série especial do 570GT é limitada a apenas 6 unidades e os preços ainda não foram revelados. Como destaque do visual, o 570 GT "XP Green" se destaca pela cor da carroceria verde e alguns detalhes em bronze, encontrados no para-choque, saias laterais, friso nas portas e difusor traseiro. Há também um tom de preto exclusivo no spoiler dianteiro, portas, tomadas de ar, para-choques, saias laterais e difusor traseiro. No interior, as novidades ficam por conta do revestimento em couro também em tom bronze, com costuras contrastantes na cor verde, além de uma plaqueta abaixo da tela do sistema multimídia indicando que se trata de uma série especial do superesportivo. Entre os itens de série diferenciais, a McLaren oferece sistema de som Bowers & Wilkins, rodas especiais forjadas com cinco raios, entre outros. O motor é o conhecido 3.8 V8 biturbo que desenvolve 570cv de potência com torque de 61,2kgfm acoplado ao câmbio automático de dupla embreagem de 7 velocidades e tração traseira. Segundo a McLaren ele acelera de 0 a 100km/h em 3,4 segundos e atinge os 200km/h em 9,8 segundos, com velocidade máxima de 328km/h.



domingo, setembro 24, 2017

CAuto #70: Hyundai Kona no lugar do nosso ix35 seria uma boa aposta com o fim do IPI?


Você viu na última semana que a Hyundai finalmente confirmou o fim de linha do "old" Tucson. Lançado em 2005, o utilitário esportivo já não tinha forças no mercado há um certo tempo. A marca chegou a oferecer as três gerações do Tucson por um pouco tempo. Aqui, a segunda geração chegou em 2010 e foi lançada no exterior em 2009, ou seja, hoje é um projeto de 8 anos que se mantém no mercado. O ix35 caminha para o mesmo rumo do "old" Tucson, mas no exterior há uma solução que poderia ser importada para o Brasil, ainda mais com o fim do IPI majorado para importados, já confirmado pela governo, em 2018. O Kona, apresentado no Salão de Frankfurt, poderia cumprir bem o papel de ficar acima do Creta e abaixo do New Tucson. Mais moderno e com qualidade construtiva superior ao ix35, o Kona só perde em tamanho. Utilitário compacto, o Kona conta com acabamento, itens de segurança e conectividade mais atuais que o do ix35 e conta com uma dose extra de ousadia no design externo que, você gostando ou não, será a tendência para as novas gerações de Tucson e SantaFe. Contruído sobre a mesma plataforma do i20 e HB20, o Kona mede 4,17 metros de comprimento, 2,60 metros de entre-eixos, 1,80 metro de largura, 1,55 metro de altura e 361 litros no porta-malas. Aqui, com motor 1.6 T-GDI de 177cv de potência e câmbio automático de dupla embreagem de 7 velocidades faria com que o SUV fosse um dos mais modernos no quesito mecânico (e um dos mais ariscos também), concorrendo diretamente com o Suzuki Vitara, hoje o SUV Compacto mais rápido do mercado. Claro que, se considerarmos a mecânica, os itens de série e o fato de ser importado (que depende da variação do Dólar), o Kona teria preço inicial na casa dos R$100.000 e poderia chegar facilmente aos R$120.000. Além do Vitara, um dos seus concorrentes seria o carismático Jeep Renegade Diesel, que também circula por essa faixa de preço e tem o motor como principal expoente, assim como o Kona, mas movido a gasolina. E você. Acharia uma boa troca?



Conexão Automotiva - Destaques da Semana: #008


Confira os quinze principais destaques do blog entre os dias 16 a 22 de setembro de 2017. Começamos pelo grande destaque dessa semana, do nosso post que falava sobre alguns internautas que chamam o Fiat Argo de "mico" e o comparamos com Chevrolet Onix e Hyundai HB20 no início de carreira. A preparadora AC Schnitzer revelou os preços dos equipamentos no Brasil e a Strasse trouxe novos modelos preprados de Mercedes e Land Rover. O Fiat Uno comemorou um ano da adoção do face-lift com os motores FireFly, enquanto em Frankfurt a Audi apresentou o R8 V10 de tração traseira RWS e a Renault cogita vender Dokker de pasageiros no Brasil. A Chevrolet Spin deve ter face-lift no início de 2018 com base nas mudanças do Cobalt, o Ford Fusion comemora um ano do seu face-lift no Brasil e o Volkswagen Polo deve ter versão para clientes PcD. A Ford deve apostar num EcoSport de carroceria bitom em 2018, o nosso Citroën C4 Cactus deve trazer a mesma plataforma do nosso Peugeot 2008 e a Honda lança o Fit reestilizado por R$58.700. A Renault tem pré-venda do Kwid que se arrasta até o carnaval de 2018, a Nissan desenvolve uma nova geração especial para a Frontier nos EUA e a Volkswagen "confirma" SUV Tharu para o Brasil até 2020.


Vídeos Automotivos: Test-Drive no Volkswagen Jetta 1.4 TSi

Vídeos Automotivos: Test-Drive na Renault Duster Oroch Dynamique 2.0 16v AT4

Vídeos Automotivos: Relembre - MINI Traveller foi um dos pioneiros entre as vans compactas