sábado, dezembro 10, 2016

Audi deve substituir linha Quattro por Audi Sport, que deve trazer novidades, como mais modelos RS


A Audi acaba de substituir a divisão quattro pela Audi Sport. A divisão quattro GmbH foi substituída pela Sport GmbH. O fim da duvisão LeMans deverá ser preenchida ainda pela nova empresa, com Stephan Winkelmann na presidência, que estava a frente da Lamborghini. Além das competições e carros esportivos, a Audi Sport tomará conta também das vendas de produtos associados com a esportividade e também da Audi Exclusive. Essa reorganização da Audi vai incluir modelos como S8, RS6, RS3, RS Q3, entre outros. A empresa espera lançar oito novos esportivos em 18 meses. Isso dá ao entender que a Audi Aport finalmente deve abrir um leque maior de modelos da versão RS, que deverão chegar a automóveis como A1, A4 Sedan, Q2 e até mesmo o grandão Q7. Sabe-se que destes 8 lançamentos, alguns são modelos inéditos e outros são apenas mudança de ano/modelo. Mais detalhes serão divulgados em breve.


sexta-feira, dezembro 09, 2016

Lexus revela teaser da nova geração do LS, que deve ser revelada no Salão do Automóvel de Detroit


A Lexus está revelando o primeiro teaser da quinta geração do LS, seu sedã topo de linha. O modelo deve ser lançado no Salão do Automóvel de Detroit, em Janeiro. Lançado em 1989, o Lexus LS foi o primeiro sedã de luxo japonês feito para enfrentar os sedãs de Audi, BMW e Mercedes-Benz. Após 27 anos de mercado e presente em mais de 90 países, o novo LS deve ser vendido sobre a plataforma GA-L de tração traseira, a mesma que equipa o LC 500. Ao divulgar o teaser, a marca nipônica não revelou muitos detalhes, mas pelo imagem se percebe que deve ter um foco maior em conforto com a suspensão pneumática adaptativa. A Lexus promete uma nova experiência de condução, o que pode indicar tecnologias de direção semiautônoma. Comenta-se que o motor deve ser o 3.5 V6 Atkinson que desenvolve 298cv de potência, um híbrido com 357cv e a versão topo de linha com motor 5.0 V8 capaz de desenvolver 474cv de potência, acoplado ao câmbio automático de 10 velocidades. A nova geração do sedã deve ser baseada no conceito LF-FC Concept, um sedã com linhas agressivas e com detalhes elegantes. Seu design também é bastante aerodinâmico, lembrando ser um coupé de quatro portas. O novo LS já está sendo testado em segredo no Japão e seu design final deve trazer bastante do conceito. Um dos destaques do modelo final deve ser os projetores de LEDs em formato de seta, com destaque para a enorme grade dianteira cromada. Na traseira o destaque fica por conta das lanternas em LEDs triangulares que deverão complementar o design ousado do sedã.


Unidades VPs do Fiat X6H começam a ser produzidas em Março na fábrica mineira de Betim


Com lançamento marcado para meados de Agosto a Setembro de 2017, o novo hatch da Fiat, conhecido apenas pelo código "X6H", deve ter as primeiras unidades VPs (Verifica Processo) produzidas em Março, segundo o site Autos Segredos. O site, que teve acesso a alguns fornecedores da marca italiana, confirmou que a fábrica de Betim (MG) começa a testar as primeiras unidades do novo hatch no primeiro trimestre, enquanto ele vai perdendo a vergonha nas ruas. Já rodando com carroceria definitiva, o novo hatch deve dar origem a uma nova geração do Palio e deve ter inspiração na linha Tipo. Ele deve ser oferecido com motor 1.0 6v FireFly Flex que desenvolve 77/72cv de potência com torque de 10,9/10,4kgfm, 1.3 16v FireFly Flex que desenvolve 109/101cv de potência com torque de 14,2/13,7kgfm e o 1.8 16v EtorQ Flex que desenvolve 139/135cv de potência com torque de 19,3/18,8kgfm, acoplado com câmbio manual de 5 (1.0 e 1.3) ou 6 (1.8) marchas e automático de 6 velocidades. O hatch compacto que substitui o atual Palio e o Punto deve ser mais largo que o atual Grand Siena e sua bitola traseira deve ser 5 centímetros mais larga. Alguns detalhes já foram revelados, como a grade dianteira em estilo de colmeia e faróis que devem lembrar os do Mobi. O capô deve se encontra diretamente com a grade e os faróis. O novo Fiat deve ter a mesma plataforma 326 do atual Palio, porém modificada e reforçada para melhorias de segurança para ir bem nos testes de segurança. Trata-se de uma versão muito evoluída da mesma base usada pelo Punto, desenvolvida em conjunto com a General Motors no início dos anos 2000. Além disso, tanto hatch (X6H) como sedã (X6S, o novo Siena) deverão trazer medidas inferiores ao modelo europeu em até 10 centímetros no hatch e cerca de 20 centímetros no caso do sedã. A única coisa que deve se manter é a qualidade dos aços, que é a mesma da Toro. Para isso, tanto o sedã como o hatch terão acabamento melhor e equipamentos bem relevantes, como controles de estabilidade e tração e central multimídia. Não esqueça ainda da X6P, futura picape, que deve ser a nova geração da Strada.


Fonte: Autos Segredos

Depois do motor diesel, Volvo deve lançar XC90 híbrido em 2017 com 406cv e preço de R$500.000


Parece que a Volvo deve trazer o lineup completo do XC90 ao Brasil. Lançado em 2015 somente na motorização T6, movida a gasolina e recentemente na versão turbo diesel D5, para 2017 a Volvo deve lançar a motorização T8. A versão será a topo de linha do XC90 e contará com motor 2.0 E-Drive Turbo a gasolina em conjunto com um elétrico. O motor do T8 é o 2.0 16v E-Drive SuperCharged de quatro cilindros com injeção direta de combustível a gasolina que desenvolve 320cv de potência e 40,7kgfm junto de um elétrico que desenvolve 83cv e 24,4kgfm. Juntos, eles desenvolvem 406cv de potência e torque de 65,2kgfm, acelera de 0 a 100km/h em 5,9 segundos. Segundo a Volvo, o XC90 T8 tem autonomia de 43km quando roda apenas com eletricidade. Segundo a fabricante, ele emite 59g/km de CO² e roda 40km/l. Para comparar, o modelo mais amigo do meio ambiente à venda hoje no Brasil de acordo com os dados do Inmetro/Conpet é o Ford Fusion Hybrid, que emite 81g/km de CO² e faz 16,8km/l. Em entrevista concedida para a revista Auto Esporte durante o lançamento do XC90 D5, o XC90 T8 já está homologado para ser lançado no Brasil e seu lançamento pode ocorrer no primeiro semesre de 2017, com preços na casa dos R$500.000. Com isso, o XC90 deve ser o único no seu segmento a oferecer motores a gasolina, diesel e híbrido, podendo colocá-lo na liderança do segmento.


Chevrolet deve nacionalizar motor 2.8 Turbo Diesel de S10 e TrailBlazer em São José dos Campos (SP)


Segundo o sindicato de metalúrgicos da fábrica de São José dos Campos (SP), a Chevrolet fechou um acordo para a contratação de novos funcionários para a produção do motor 2.8 Turbo Diesel da S10 e TrailBlazer na fábrica. As operações serão iniciadas em Março de 2017 e incluem a abertura de novas linhas de usinagem na fábrica paulista. Até Março de 2016 os motores eram fornecidos pela MQM Motores. A curiosidade é que ele nunca foi de origem MWM, mas sim VM Motori, e era produzido pela empresa de Canoas, no Rio Grande do Sul, sob licença. Após o fim do contrato de produção licenciada, o 2.8 passou a ser importado. Com a produção local, a Chevrolet ganha agilidade no processo de produção, além de gerar cerca de 200 novos postos de trabalho a partir de Janeiro. Vale destacar ainda que a fábrica recém passou por um crescimento de 25% nas vendas e exportações, chegando a 50.000 unidades produzidas até o mês passado. Hoje a fábrica de São José dos Campos emprega cerca de 5 mil trabalhadores e produz os modelos S10 e Trailblazer, além de motores e transmissão.


Ford convoca recall de 458 unidades do Focus Hatch 1.6 no Brasil por risco de incêndio


A Ford está convocando um recall que envolve 458 unidades do Focus Hatch no mercado brasileiro com risco de incêndio. As unidades envolvidas no chamado foram produzidas entre 4 de Maio de 2015 a 14 de Julho de 2015 com ano/modelo 2015 e 2016, que devem retornar a uma concessionária mais próxima para realizar a instalação de um tubo corrugado para proteção da mangueira de alimentação de combustível. De acordo com o divulgado do fabricante, "os exemplares envolvidos podem apresentar interferência entre a mangueira de alimentação de combustível e a unidade de controle do aquecimento para o sistema de partida a frio (HCU), com possibilidade de desgaste da mangueira e consequente vazamento de combustível. Por conta disso, na hipótese de vazamento de combustível, há o risco de incêndio, com possível danos físicos aos ocupantes do veículo e a terceiros". A Ford reitera que é preciso fazer o agendamento em uma concessionária e que todas já estão prontas para efetuar o serviço. A duração do serviço é de 15 minutos. Para maiores informações, a marca oferece o telefone 0800 (0800 703 3673) ou o site (www.ford.com.br). Confira abaixo o final dos chassis, não sequenciais.


Final dos Chassis
Ford Focus Hatch 1.6

  • 2015: de FJ340814 a FJ344024
  • 2016: de GJ345659 a GJ361170

Volkswagen confirma que venderá automóveis elétricos na Argentina nos próximos anos


Com determinação para ser líder mundial de automóveis elétricos em 2025, a Volkswagen quer expandir seus mercados o mais rápido possível. Depois do escândalo do Dieselgate, a alemã quer focar em automóveis verdes em mercados como Europa, EUA, Japão e China. Em uma tradicional reunião de fim de ano na Argentina, a marca anunciou que também deve vender seus automóveis elétricos no país hermano, mas não divulgou uma data para isto. Este anúncio atende a um plano governamental local, chamado de Mesa de Veículos Elétricos, integrado ao governo e representante dos setores ligados a indústria local. O modelo mais cogitado para ser vendido na Argentina é o modelo de produção do ID Concept apresentado no Salão de Paris deste ano. Construído sobre a nova plataforma MEB, o modelo conta com propulsão completamente elétrica e direção autônoma. Custando o equivalente a um Golf a diesel, ele será a arma da VW para popularizar os veículos verdes. No Salão de Buenos Aires, que ocorre em Junho de 2017, a Volkswagen pode revelar quais modelos elétricos deverão ser vendidos no país. E o Brasil? Por aqui nada foi declarado, mas as chances dele ser vendido no Brasil são boas, visto que nós representamos um dos maiores mercados para a marca alemã.


Nova picape média da Peugeot será produzida na Tunísia e na França; Argentina aguarda confirmação


Como a maioria já sabe, a Peugeot planeja voltar para o segmento de picapes médias em breve. A marca do leão tinha parceria dada como certa com a Toyota para usar a mesma base da Hilux. Inclusive ela seria produzida na fábrica de Zárate, na Argentina. Com desenvolvimento feito em parceria com a Dongfeng, a picape deve ser lançada em 2018. Especulada desde 2015, a picape faz parte dos 34 lançamentos da PSA (Push To Pass) até 2021 e segundo a página francesa LeBlog Auto, a picape deve ser produzida na Tunísia, norte da África, a partir de 2018. A montagem será tocada em parceria com a fabricante local Stafim e deve gerar 300 novos empregos no país, sendo fabricados anualmente cerca de 1.200 exemplares. Inicialmente a meta é atender apenas ao mercado doméstico e regiões vizinhas. Como se nota, os volumes são baixíssimos, mas mostram que o projeto está bem encaminhado e que será produzido em maiores volumes por outras fábricas. Com a Tunísia como o primeiro país já confirmado a produzir a nova picape, fica a cargo de mais duas fábricas produzirem a picape. Uma seria na Europa (grande chance de ser produzida em Sochaux, na França) para atender o mercado doméstico e a Austrália, enquanto a Argentina abastece as Américas. Detalhes ainda são pouco conhecidos, mas o lançamento no MercoSul é dado praticamente como certo. A data de estreia não foi confirmada, mas deve acontecer por volta de 2019 a 2021. Segundo Carlos Tavares, CEO do grupo PSA, em entrevista ao Argentina Autoblog pode ter dado uma pista e assim dando fim com o mistério: a Peugeot cogita produzir a novidade na fábrica argentina de El Palomar. “Sim, é possível (levar a produção para o país vizinho). É algo que estamos estudando, mas só faremos o anúncio em um momento apropriado”, confirma o executivo. A picape terá capacidade de carga de 1 tonelada na caçamba, mas a PSA ainda mantém segredo sobre. O grupo francês confirmou os planos de desenvolver, nos próximos cinco anos, uma picape média com tração 4x2 ou 4x4, vendida exclusivamente com cabine dupla e motor turbo diesel.


JLD faz homologação de blindagem de fábrica para seus automóveis, que em breve deve estar disponível


Com o crescimento dos blindados, a Jaguar-Land Rover não poderia ficar de fora da blindagem de fábrica. Assim como a rival BMW, o grupo inglês que produz Land Rover Range Rover Evoque e Discovery Sport na fábrica de Itatiaia (RJ), deve começar em breve a vender automóveis blindados de fábrica. A JLD está em fase de homologação de duas empresas para o processo de blindagem de toda a sua linha zero quilômetro, seguindo os padrões exigidos. A Autostar e a Carbon passaram por diversas análises para poderem fazer o serviço sem a perda da garantia de fábrica de qualquer um dos carros do grupo. O nível de proteção é o III-A, maior disponível para civis, com opção de vidros de 18 ou 21mm. Com isso, a blindagem, antes vista como dúvida por alguns consumidores, agora pode ser segura e ainda contará com cobertura de 3 anos que a fábrica oferece. Toda a manutenção pode ser feita nas concessionárias normalmente. “A certificação dada pela Jaguar-Land Rover a essas duas empresas é um passo importante no objetivo de sempre buscar oferecer o máximo em qualidade e experiência premium dentro de um mercado tão exigente”, disse o diretor de Marketing e Produto da Jaguar Land Rover, Gabriel Patini.


Em quinze anos de produção, MINI produz 3 milhões na fábrica de Oxford, responsável por 80% da produção mundial


A MINI está comemorando a marca de três milhões de unidades produzidas na fábrica de Oxford nos últimos 15 anos de produção. A unidade de número 3.000.000º foi uma Clubman JCW na cor azul e com tração ALL4. Apesar do complexo ser grande, a planta arma a carroceria, realiza a pintura e faz a montagem final dos componentes, pois os demais componentes são provenientes de plantas como Hams Hall e Swindon, sendo estes motores e partes estampadas e subconjuntos, respectivamente. Inaugurada em 2001 para voltar a produzir o famoso hatch lançado na década de 50, a fábrica começou com 300 unidades produzidas por dia e hoje chega a 1.000 unidades produzidas diariamente. A fábrica conta com 4.500 funcionários e a montadora exporta a partir de Oxford para 110 mercados. Atualmente a fábrica responde por 80% da produção da MINI no mundo., inclusive para o Brasil