quinta-feira, janeiro 19, 2017

Última marca produzido no país, Holden confirma o fim da produção na Austrália para Outubro


Depois do anúncio há dois anos, o encerramento da fábrica da Holden na Austrália deve acontecer nos próximos meses. Segundo informa a marca, a produção de automóveis na fábrica de Elizabeth, em Adelaide, será definitivamente encerrada no dia 20 de Outubro, depois de 54 anos de mercado local. Com isso a morte do icônico Commodore australiano também está confirmado, uma vez que agora ele será igual a um Opel e Vauxhall Insignia. Na Austrália, a Holden teve o Commodore e a picape Ute. Outro modelo que deve deixar de ser produzido será o Chevrolet SS, que também teve seu fim de linha confirmado. Vale destacar ainda que a fábrica de Elizabeth importou automóveis para o Brasil como Omega, conhecido como Omega australiano desde que deixou de ser produzido aqui, em 1998. A Holden então passará a contar com um portfólio inteiramente importado, com modelos vindos principalmente da Coreia do Sul. O exemplo mais recente é o da nova geração do Cruze, lançado por lá como Astra Sedan. A Holden deve ser a última fabricante de automóveis da Austrália, já que Ford e Toyota fecharam suas fábricas por lá em 2016. Ambas citam o encolhimento do mercado e os altos custos operacionais como empecilhos para continuar mantendo fábricas no país. A partir de 2017, todos automóveis vendidos na Austrália serão importados. Difícil imaginar isso, não é mesmo?


Nova geração do Nissan Micra começa a ser produzido na França, na Europa, para atender continente


Destaque da Nissan no Salão do Automóvel de Paris, a nova geração do Nissan Micra começou a ser produzido. Ele começa a ser produzido na fábrica de Flins, na França, para abastecer todo o continente. Inspirado no Sway Concept, a nova geração do hatch passa a ter maiores cuidados com a segurança ao trazer sistemas de auxilio ao motorista, como frenagem de emergência, detector de mudança de faixa, reconhecimento de luzes de trânsito e outros. No design, destaque para os fortes vincos laterais e os faróis dianteiros horizontais e lanterna que invade a lateral. É possível perceber um grande grau de parentesco com o Kicks, apresentado em Agosto. Essa sensação fica indiscutivelmente percebida nas janelas laterais e nos faróis. Mas o interior é um CTRL C + CTRL V. O design será bastante parecido com o do Kicks, incluindo o design das saídas de ar e o acabamento em dois tons. O sistema de entretenimento será semelhante, enquanto o volante (tendência entre os novos Nissan) é o mesmo que estreou no Kicks e já está presente no Rogue/X-Trail. A percepção é de maior refinamento para um compacto que deve brigar com Renault Clio, Volkswagen Polo, Citroën C3 e Peugeot 208 na Europa. “Nós elevamos o segmentos de hatches de entrada para outro nível na Europa, focando no que os consumidores realmente querem hoje e esperam para amanhã. O novo Nissan Micra é um carro excepcional, caracterizado pelo design expressivo, interior espaçoso e uma condução prazerosa”, disse Paul Willcox, presidente da Nissan Europa.


Renault aposta no Master Z.E. na Europa, que traz motor 100% elétrico que desenvolve 76cv


A Renault está apresentando na Europa mais um automóvel Zero Emission: o furgão Master. Com motor 100% elétrico, a versão amplia ainda mais o leque de motorizações do modelo na Europa e nesta versão plugada ele tem foco em entregas urbanas, com cargas mais leves. A Renault aposta em um pacote de baterias de lítio de 33kWh, que alimenta um motor elétrico R75 que desenvolve 76cv de potência, o mesmo usado pelo Zoe. Com esse conjunto o Master conta com 200km de autonomia no ciclo europeu. Contando com um WallBox, ele permite reduzir o tempo de recarga total para 7 horas. A marca ainda paresentou novidades para o Kangoo Z.E.. O furgão menor conta com uma nova bateria de lítio, que junto com seu novo motor lhe permite ser o veículo comercial leve elétrico com baú mais eficiente do mercado, com até 270 quilômetros de autonomia em ciclo NEDC. Uma melhora substancial em relação à versão anterior, que oferecia 170 quilômetros de autonomia máxima.


LeECO inicia a construção de sua fábrica nos EUA e complexo deve ter capacidade de 400 mil por ano


A LeECO, empresa de tecnologias da China, quer entrar no segmento de modelos chineses com a fabricação de sua fábrica no país, que custará nada menos que US$3 bilhões. Até o momento, o CEO da LeECO, Jia Yueting, já aplicou US$2 bilhões no empreendimento, mas o dinheiro não teve sua origem declarada, pois a empresa está em situação precária e não teria como investir por conta própria, segundo um relatório. A LeECO quer produzir automóveis nos EUA a partir de 2018, com capacidade produtiva de 400.000 unidades por ano. Mas, a LeEco não teria conseguido ainda a licença de Pequim para produzir automóveis, o que coloca em dúvida o futuro da operação. Yueting não é popular no governo chinês, o que aumenta as suspeitas de que as autoridades não aprovarão o projeto. Ainda assim, políticos da região onde a fábrica está sendo erguida, querem apoiar o empreendimento. A instalação da fábrica faz parte de um complexo industrial que deve incluir ainda a chamada "Eco Experience Park", do qual fazem parte um parque de diversões temático e um edifício de escritórios conectados e instalação para estacionamento e manutenção de carros elétricos. Na sua visão, este era o LeCar, que ressurge como LeSEE. Com desenvolvimento próprio, o LeSEE Concept teve custo de US$1,2 bilhão, que saiu do próprio bolso do fundador, Yueting. Além de ter motor elétrico, o conceito possui condução autônoma, o que pode explicar aquele "objeto" no teto do conceito. A empresa introduziu um tipo de inteligência artificial (IA) e pretende que o carro seja o primeiro do mundo com capacidade de evoluir sozinho, apreendendo com a experiência de condução do motorista e o comportamento de outros veículos.


quarta-feira, janeiro 18, 2017

Lexus convoca recall de 26 unidades do IS no Brasil com defeito no airbag do passageiro


A Lexus está convocando um recall que envolve 26 unidades do sedã IS no mercado brasileiro. O modelo, de geração anterior ainda, está na lista com defeito no airbag do passageiro. As unidades afetadas foram produzidas entre 15 de Fevereiro a 14 de Setembro de 2012. De acordo com a fabricante, os proprietários dos veículos convocados devem agendar em uma concessionária Lexus, a partir de amanhã (19), o reparo do airbag dianteiro no lado do passageiro. Os Lexus que integram a campanha preventiva podem apresentar "problema no deflagrador da bolsa inflável, com risco de rompimento inadequado em caso de acionamento do equipamento, podendo projetar fragmentos metálicos dentro da cabine". O defeito traz risco de lesões graves e até fatais aos ocupantes. O reparo vai acontecer em duas etapas. Na primeira, após o agendamento, o airbag dianteiro do passageiro será desativado, com a aplicação de etiqueta no painel do carro, alertando para esse desligamento temporário. A segunda etapa começa no próximo dia 3 de abril, quando o deflagrador será substituído e o airbag, reativado, com a remoção da etiqueta de alerta. Segundo a Lexus, a primeira etapa do chamado começa a partir de amanhã (19/01) em todas as concessionárias da marca, para desativar o equipamento. Também será colocada uma etiqueta no painel do veículo avisando que o item estará inoperante. Para maiores informações, a Lexus oferece o telefone 0800 (0800 5398 727) ou através do site (www.lexus.com.br).


Especial Lançamentos 2017 #20: o que esperar da Land Rover para o Brasil neste ano?


A Land Rover deve ter um lançamento no decorrer de 2017: a nova geração do Discovery, que chega a sua quinta geração. O utilitário esportivo pode ser lançado no início do segundo semestre, com preços entre R$270.000 a R$290.000 iniciais. Entre os destaques do seu design estão os faróis espichados com acabamento escurecido e luzes de LED, formando conjunto com a nova grade com dois elementos horizontais, além do para-choque com formato mais robusto. Já nas laterais, o carro apresenta um vinco na extremidade das maçanetas, que começa no para-lama dianteiro e termina nas lanternas traseiras, e linha de cintura elevada. Outro destaque do carro é a elevação na parte traseira do teto, algo presente desde a primeira geração do modelo, mas de maneira mais sutil. Em novidades que não temos capacidade de ver a olho nú, o novo Discovery apresenta uma nova construção na nova plataforma de alumínio, que garantiu redução de impressionantes 480kg em relação ao Discovery 4. Nas dimensões, o Discovery5 conta com 4,97 metros de comprimento, 2,92 metros de entre-eixos e um espaço bom o suficiente para levar todos sem aperto. Na mecânica, a nova geração deve ser equipada com motores 3.0 V6 que desenvolve 340cv de potência e torque de 45,9kgfm ou o 3.0 SDV6 Turbo Diesel que desenvolve 254cv e torque de 61,2kgfm, sendo que esse último tem chances de ser substituído pelo inédito motor 2.0 Turbo Diesel que deve entregar 245cv. Para ambas as motorizações o câmbio é automático de 8 velocidades e a tração é integral. Com motor Diesel ele acelera de 0 a 100km/h em 7 segundos e deve ser comercializado nas versões: S, SE, HSE e HSE Luxury.


BMW apresenta face-lift sutil para Série 4 nas carrocerias Coupé, GranCoupé e Cabriolet e chega ao Brasil em breve


A BMW está apresentando novidades para a linha Série 4. Modelos descolados em relação ao Série 3, a linha formado por GranCoupé, Coupé e Cabriolet, passaram por um face-lift bem sutil. Lançado em 2013, eles passam por suas primeiras mudanças visuais. Entre as novidades, o Série 4 2018 oferece novo layout dos faróis e lanternas com LEDs, leves mudanças no pra-choque dianteiro e traseiro e novos frisos e grade dianteira. Para Série 4 Coupé e GrandCoupé, a suspensão foi recalibrada, melhorando a estabilidade sem prejudicar o conforto. Para os três ainda há novas rodas de liga leve de 18 ou 19 polegadas. Por dentro, o acabamento recebe novos materiais e opções de cores. No painel de instrumentos, o novo Série 5 empresta sua tela configurável, que não perde o charme dos tradicionais ao manter os arcos. É um opcional, assim como o sistema de navegação com novos controles, mais intuitivos. Entre os equipamentos, o sistema de navegação Professional (opcional) inclui uma nova interface com seis ícones grandes distribuídos em duas telas, com a opção de reorganizar os ícones de acordo com a preferência do motorista. Há também o Multifunctional Instrument Display, com diferentes opções de visualização para todas as telas do painel, seguindo a mesma linha do Audi Virtual Cockpit, por exemplo. Segundo a BMW, entre as três carrocerias tem 31 versões diferentes. Na mecânica, a BMW mantém o motor 2.0 Turbo de 186cv na versão 420i, 254cv no 430i e o 3.0 de 6 cilindros em linha que desenvolve 330cv de potência no 440i, todas movidas a gasolina. Com diesel, a BMW oferece as versões 420d, 430d e 435d xDrive que desenvolvem 192cv, 260cv e 315cv de potência respectivamente. O câmbio é manual de 6 marchas ou automático de 8 velocidades. Para o M4 há o motor 3.0 de 6 cilindros em linha Turbo que desenvolve 456cv de potência, com transmissão automatizada de dupla embreagem, capaz de ir de 0 a 100km/h em 4 segundos no caso do coupé e 4,3 segundos no conversível. As novidades não devem demorar para chegar ao Brasil.





PSA nega a saída de mercado da premium DS, mas deve dar início a "independência" da Citroën


Depois de publicarmos ontem (17/01), que a PSA poderia deixar de importar os automóveis da DS para o Brasil, recebemos um email de Rogerio Franco, responsável pela área de comunicação da DS do Brasil informando que a marca não vai deixar o país. "Muito pelo contrário", ressalta. Em nota, a PSA informa que “Desde sua criação, em junho de 2014, a marca DS segue um desenvolvimento mundial próprio e totalmente orientado para o universo Premium. Uma marca criada para representar o melhor do luxo e do savoir-faire francês. Referente ao Brasil, não há intenção ou previsão de saída da DS do mercado. Como, desde 2015, as marcas Citroën e DS atuam com estruturas e redes separadas na Europa, também estamos trabalhando para o desenvolvimento de um novo modelo comercial para o mercado local, mais voltado para a exclusividade/Experiência Cliente diferenciada. Isso significa não somente oferecer produtos diferenciados, que se destacam pelo estilo marcante, materiais nobres, requinte nos mínimos detalhes e tecnologias avançadas, mas oferecer uma Experiência de Marca inédita, exclusiva, sofisticada e de vanguarda ao consumidor brasileiro. E é muito importante ressaltar que, para os clientes, nada muda no Pós-venda, com atendimento normal nas concessionárias Citroën”.  Assim, ao que tudo indica, a DS deve passar por uma reestruturação no mercado, deixando de ser comercializada nas concessionárias da Citroën para vender automóveis nas suas próprias concessionárias. Seguindo a fio a nota, a marca deve ganhar independência da Citroën, o que ainda deve fazer com que a marca premium ganhe um site próprio. Se baseado pelas novidades da Europa, é possível esperar ainda novidades, como o DS 7 Crossback e um inédito sedã, ambos com lançamentos confirmados para a Europa, a princípio.



Apresentado no Salão de Detroit, Mercedes-Benz GLA reestilizado chega ao Brasil já em Maio


Apresentado no Salão do Automóvel de Detroit, o face-lift do GLA não deve demorar para chegar ao Brasil. Segundo o Jornal do Carro, a Mercedes-Benz deve apresentar o SUV Compacto Premium reestilizado no mês de Maio no país, ou seja, dentro de quatro meses após os EUA. Isso porque a Mercedes já prepara a nova geração do GLA, que deve ser lançada na Europa em 2019 (aqui em 2020), dando mais algum tempo do modelo reestilizado no nosso mercado do que lançá-lo em 2018. Externamente, o GLA ganha novo para-choque dianteiro com apliques em preto brilhante, novos faróis de neblina, novo faróis com novo layout, enquanto na traseira segue as mesmas mudanças da dianteira com novo para-choque traseiro com aplique em black piano e lanternas com novo layout e levemente escurecidas. Na lateral, grande novidade é as novas rodas de liga leve, que mudam o design do SUV. As maiores novidades se encontram no interior: ele recebe tela multimídia de 8″ de alta resolução com Android Auto, um novo quadro de instrumentos e câmera auxiliar traseira de série, além de sistema de visualização em 360º. Em termos de acabamento, o destaque é a guarnição de madeira Matte Black Ashe, de aspecto mais moderno, e o acréscimo de um revestimento Canyon Bege. O Mercedes GLA reestilizado também recebe o pacote Night, que inclui rodas de 18″, grade frontal mais elaborada, rack de teto na cor preta e para-choques mais esportivos. Ele não ganha mudanças visuais e seus preços não devem sofrer reajustes significativos.


Fonte: Jornal do Carro

Ford EcoSport reestilizado chegará ao Brasil em três etapas ainda no primeiro semestre de 2017


Assim como aconteceu com a apresentação da segunda geração do EcoSport em 2012, do Ka em 2014 e do Focus em 2013, a Ford deve apresentar o face-lift do EcoSport "parcelado" em três vezes. O modelo deve ser lançado ainda neste primeiro semestre de 2017 e o primeiro "lançamento" será das versões equipadas com motor 2.0 16v Flex, que passa a ser o mesmo do Focus, com injeção direta de combustível. No mês seguinte será apresentado o Eco com motor 1.5 12v Dragon Flex e por fim as versões com tração AWD. Entre as novidades visuais do EcoSport estão os novos faróis, a grade que ficou maior e fica entre os faróis, assim como os faróis de neblina também são novos. O pisca sai dos faróis e vai para o mesmo conjunto dos faróis de neblina. A placa agora ocupa o espaço sob a grade, em uma grande barra entre ela e o que parece ser um “peito de aço” estilizado. Na traseira, o nosso EcoSport mantém o estepe na traseira e as lanternas que não mudaram de formato (se for verdade, sites dão como certeza que o nosso deve trazer novo layout das lanternas) ou farão o uso de LEDs. O puxador da tampa traseira continua disfarçado na lanterna direita. Mesmo com o "disfarce", a tampa do porta-malas ainda abre para a direita. No interior, tudo é novo: destaque para a nova central multimídia com Sync 3 com tela de 8″ “flutuante”, compatível com Apple CarPlay e Android Auto. As saídas de ar centrais agora ficam sob a tela e acima dos comandos do ar-condicionado. Antes, elas ficavam uma de cada lado dos comandos do Sync. O volante veio do Focus, com comandos do controlador de velocidade do lado esquerdo. O controle dos retrovisores saiu do puxador da maçaneta da porta do motorista e foi para o apoio de braço, pouco acima dos comandos dos vidros elétricos. No geral, as linhas estão mais retilíneas e elegantes, enquanto o acabamento parece bem mais esmerado. Ainda sem muitos dados da mecânica, sabe-se que o EcoSport deve substituir o câmbio PowerShift por um automático com conversor de torque convencional, também de 6 velocidades. O motor 2.0 16v Flex desenvolve 178/175cv de potência e 22,5/21,5kgfm de torque. Já o 1.5 Dragon deve ter cerca de 130cv e substitui o atual 1.6.